Full Banner

terça-feira, 1 de maio de 2012

O TRABALHADOR TEM O QUE COMEMORAR ?


                                      1º de maio
                                                                                                                                                        
 O trabalhador (a) experimenta em todos os tempos uma verdadeira batalha para sobreviver as nuances de um sistema que foi desenvolvido para deixar-lo (a) alienado pela ilusão de que trabalhando ficará rico, quando na sua essência essa condição não pode ocorrer, isso só é permitido ao Patrão, o dono do negócio. Podemos dizer, que, são poucos os trabalhadores que conseguem viver com dignidade apenas de sua profissão, estamos falando, viver com dignidade e não acumular riqueza.


Restou ao trabalhador se organizar, buscar condições de tentar se contrapor e lutar por direitos, assim acontece depois de muitas lutas, mortes, perseguições, torturas ao longo da História. Muito ainda há por se fazer, os instrumentos da luta de Classe  trabalhadora são muitos, porém a maioria, ao exemplo do sistema, quer tapar o Sol com a peneira e fazer festa no de maio.


  É  preciso ter  coragem pra dizer que os trabalhadores(as) não tem o que comemorar, ainda somos mal remunerados, não valorizados, o número de acidentes de Trabalho é crescente seguidos de morte acidentais, ou deixando inválidos,  pelas péssimas condições de trabalho, que tem adoecido seja pelo assédio moral, depressão e ceifado vidas de milhares de Pais e Mães de família mundo afora.
É preciso que as Centrais Sindicais e Sindicatos façam o seu verdadeiro papel que é conscientizar a classe de sua missão contra o Trabalho escravo, melhores salários, redução da jornada de Trabalho, fim do Imposto Sindical, melhores condições de trabalho, oxalá romper com esse maldito sistema em que o rico fica mais rico e o pobre cada vez mais pobre, entre outras.

De fato temos pouco o que comemorar, e  quem não reconhece isso isso não tem boa intenção com sua Classe. O trabalhador (a) precisa de dignidade e não de enganação.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog