Full Banner

quarta-feira, 4 de abril de 2012

O MAIOR DESAFIO DA IMPRENSA



Nos próximos meses, a liberdade de imprensa no Brasil enfrentará um dos maiores desafios da sua história: demonstrar capacidade de se abstrair do corporativismo e proceder a uma análise corajosa e isenta sobre fatos que começarão a jorrar nos próximos dias.
Trata-se da ligação da revista Veja com o crime organizado. Mais especificamente com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e seu oficial maior, senador Demóstenes Torres.
Cachoeira elegeu Demóstenes. A revista transformou-o em um político influente, graças à apologia que fazia dele. Juntos, as três pontas produziam escândalos, em um esquema articulado.
Cachoeira armava escândalos, muitos dos quais contra adversários criminosos. A revista repercutia. Graças a essa repercussão, os adversários eram alijados dos esquemas, permitindo a Cachoeira tomar conta do pedaço.
Grande parte dos escândalos eram avalizados por Demóstenes Torres - como o caso Francisco Escórcio, figura folclórica do Senado, acusado pela revista de tentar espionar Demóstenes  e o governador goiano Marconi Perillo. A denúncia foi fundamental para o afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros. Depois, comprovou-se que tinha sido fruto de uma mentira orquestrada entre Demóstenes e a revista (http://migre.me/8tWID). Jamais saiu o desmentido.
Até que a Polícia Federal entrasse na parada, todos ganharam.
A revista vendia mais e se tornava mais e mais temida. Cachoeira expulsava inimigos do seu território. Demóstenes se valia do poder conferido pela revista para atuar em favor dos interesses de Cachoeira na administração pública e dos interesses da revista na geração de escândalos.
Escrevi sobre esse tema em 2008, na série "O caso de Veja".  Trata-se do capítulo "O repórter e o araponga" (http://migre.me/8tWrc).
Nele conto como Cachoeira, em parceria com a revista, montou o escândalo da propina dos Correios - um grampo mostrando um funcionário recebendo R$ 3 mil de propina. De posse do grampo, a revista monta o escândalo. Como consequência, cai dos Correios o esquema liderado pelo deputado Roberto Jefferson, e assume o esquema do próprio Carlinhos Cachoeira.
Dois anos depois, a Polícia Federal liquidou com o novo esquema, mas a revista poupou seu parceiro.
Agora, a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, chega ao âmago do poder de Cachoeira, e flagra 200 ligações entre ele e o diretor da revista em Brasilia.
Há advogados que se valem da prerrogativa da profissão para atividades criminosas. O mesmo pode ocorrer com setores da mídia.

O grande desafio da mídia será mostrar sua capacidade de autocorreção.
Na Inglaterra, o caso News Corp trouxe lições preciosas. Um veículo ligado ao magnata Rupert Murdoch aliou-se a setores da polícia e afrontou direitos individuais de dezenas de pessoas. Foi denunciado por outro jornal, o The Guardian. As investigações levaram a punições severas aos envolvidos na trama, mas resguardou o valor maior da liberdade de imprensa - justamente porque foi a própria imprensa soube se autopoliciar. Aqui, a Veja se aliou ao crime organizado.
Vamos ver como se comportará a nossa, quando novos detalhes dessa parceria Cachoeira-Veja vierem à tona.

Editado por mim.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

FLAGRANTES NAS RUAS DE ITUMBIARA

Não é de hoje que esse Blog mostra flagrantes por toda nossa cidade em relação ao nosso trânsito, então  foram inúmeras matérias das mais diferentes situações. Na última sexta feira por volta de 15:00hs, o trânsito do centro ficou travado por conta de uma enorme carreta baú que insistia em passar pela estreita rua Santa Rita.

                  Vejam que o baú esbarrou no semáforo deixando-o virado.


O trânsito ficou travado mais uma vez, por falha da SMT que  insiste em tratar o nosso trânsito como se Itumbiara ainda fosse  uma pequena cidade. 
 Um policial no local tentava auxiliar a manobra, que poderia ter sido evitada se a SMT 
cumprindo sua obrigação, proibisse a circulação de veículos de grande porte no centro da cidade em horário comercial.
 Avenida Afonso Penna recebe mais um remendo, também na sexta 30/03, nesse caso a demora levou pelos menos sete anos para acontecer.
  Em pleno horário de pico a Avenida estava em parte obstruída por conta do meio fio que estava sendo feito em um trecho que ficou aberto e foi responsável por acidentes e muitas multas.

Vejam como era antes: Um vão ao longo da avenida, sem sinalização levou vários motoristas a se envolver em acidentes ou serem autuados pela própria SMT. Precisa demorar tanto para  com um simples paliativos  restabelecer a segurança em tantos locais de nossa cidade?

FLAGRANTES NAS RUAS DE ITUMBIARA

Não é de hoje que esse Blog mostra flagrantes por toda nossa cidade em relação ao nosso trânsito, então  foram inúmeras matérias das mais diferentes situações. Na última sexta feira por volta de 15:00hs, o trânsito do centro ficou travado por conta de uma enorme carreta baú que insistia em passar pela estreita rua Santa Rita.

                  Vejam que o baú esbarrou no semáforo deixando torcido.


O trânsito ficou travado mais uma vez, por falha da SMT que  insiste em tratar o nosso trânsito como se Itumbiara ainda fosse  uma pequena cidade. 
 Um policial no local tentava auxiliar a manobra, que poderia ter sido evitada se a SMT 
cumprindo sua obrigação, proibisse a circulação de veículos de grande porte no centro da cidade em horário comercial.
 Avenida Afonso Penna recebe mais um remendo, também na sexta 30/03, nesse caso a demora levou pelos menos sete anos para acontecer.
  Em pleno horário de pico a Avenida estava em parte obstruída por conta do meio fio que estava sendo feito em um trecho que ficou aberto e foi responsável por acidentes e muitas multas.

Vejam como era antes: Um vão ao longo da avenida, sem sinalização levou vários motoristas a se envolver em acidentes ou serem autuados pela própria SMT. Precisa demorar tanto para  com um simples paliativos  restabelecer a segurança em tantos locais de nossa cidade?

domingo, 1 de abril de 2012

AUSÊNCIA DO PODER PÚBLICO

Vejam o flagras da semana, as lentes de internautas simpáticos a mostrar fatos de interesses dos Itumbiarenses chegam por e-mail e juntam a nossa vontade de ver coisas boas acontecerem.

O mato toma conta de canteiro frente da Rodoviária da cidade.

 Canteiro central da Av. Tancredo Neves frente a rodoviária um dos locais mais visitados da nossa cidade.
Avenida Tancredo Neves é tomada pelo matagal, poder público ausente.


Os recursos do IPTU parecem não ser suficientes para execução de serviços básico a comunidade.


Arquivo do blog