Full Banner

domingo, 4 de outubro de 2009

O QUE É NOTICIADO X A NOSSA REALIDADE

Estamos acompanhando aqui em nossa cidade, já faz algum tempo, duas situações: uma mostrada pelos jornais e falada nas rádios; e outra que é a realidade vivída pelo nosso povo, então, uma hora temos a impressão que vivemos um conto de fadas onde os problemas do dia-a-dia parecem não ser real e a verdade é que nossa  realidade é bem outra.

Se você adoece ou alguém da sua familía, a saúde pública não faz seu papel. O agendamento futuro para tratar algo que você está sofrendo no presente é absurdo, a demora em atender em tempo hábil quem procura a unidade de urgência, onde ouví relatos de paciente que esperou por mais de oito horas para ser atendido, é outra situação grave.

Sem dizer nos últimos episódios inclusive um mostrado pela  mídia nacional , o caso Maria Vitória;  temos aí também o estranho papel do poder público no tratamento da gripe suína, com mortes e casos tratados aos montes sem um maior compromisso e envolvimento dos agentes públicos, e por aqui só não morreu muita gente por que Deus teve compaixão ou então o monitoramento tão propagado pela mídia é realmente precário e os números de mortes e suspeitas da gripe nem saem na estatística como deveria. A Escola foi o ponto alto desse cenário, onde vários alunos com sintomas e suspeitas da gripe, inclusive  com um óbito,  mesmo assim, agem como se nada tivesse acontecido.

"Confesso que me sentí mal, quando minha filha foi acometida por esse mal ( gripe suína ),  eu fui até a sua escola levar o atestado médico e falar do que se tratava como forma de prevenir os alunos e profissíonais  que alí frequentam, e de fato a sensação é de que não deram a importância devida, ficamos tristes e chocados quando soubemos dias depois que uma coleguinha da escola e da sala da minha filha veio à óbito por força dessa doença, isso não é brindadeira, prevenir não é "modismo" - palavras de uma pessoa que deveria estar a serviço da saúde.
Vocês acham que a imprensa cumpriu o seu papel verdadeiro? evidente que não, velórios acontecendo com caixões lacrados, adolescente grávida morrendo e nada de abrir a discussão, e não é só isso, ruas esburacadas, obras lançadas que não acontecem, obras inacabadas inauguradas e não terminadas, e a grande parte da imprensa só jogando confete, nós merecemos isso? não esperem nenhuma resposta se não a sua diaten deste cenário.

O centenário  chegou e um balanço é preciso ser feito, avançamos, crescemos, mas a maioria do povo  continua sofrendo as consequências dos administradores  que não levam em consideração de que todos merecem e precisam do poder público eficiente, respeitoso, fazendo a diferença, sendo o suporte do cidadão ou seja cumprindo o seu papel sem achar que isso é favor ou alguma vantagem, e sim que o poder público tenha  a convicção  de que esse papel é sua OBRIGAÇÃO.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog