Full Banner

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Pacotão de natal: Itumbiara não pode pagar !

Muito pessoas ainda tinha dúvida se era fato ou boato o decreto já denominado "pacotão de natal", confiram a verdade abaixo, sobre a exoneração e o arrocho administrativo implantando no apagar das luzes dessa administração,  que além de pegar muitos Pais e Mães de Família de surpresa  e que contavam com seus salários no fim de ano para honrar compromissos, terão um Natal abaixo das expectativas, sem dizer, que  outra questão preocupante é a possibilidade do comprometimento do ano letivo que está se findando, é preciso que o MP se manisfeste rapidamente, pois esse ano letivo não pode acontecer só no papel. Em conversa com a Presidente do Sintego local, Dulcinéia Pereira Silva essa foi uma das preocupações demonstradas. 

Nota do Sintego:

Em repúdio ao decreto municipal nº 756/2012, datado do dia 26/11/2012, o Sintego - Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás, Regional de Itumbiara, protocolou no dia 05/12/2012, uma carta aberta informando ao Ministério Público e pedindo providências acerca do mesmo.

Conforme o decreto acima citado em sua alínea I vários servidores como merendeiras, auxiliar de serviços gerais e professore
s foram demitidos; já na alínea VII as aulas complementares não serão pagas, então não serão dadas.

A nossa preocupação é com o direito da criança aos 200 dias letivos (Lei 9394/96 - LDB), uma vez que, dispensando as aulas complementares, disciplinas como PQV, Ensino Religioso, Arte, Educação Física, Informática, não estão sendo ministradas, mas os professores estão sendo orientados a lançá-las no seu diário até o dia 21/12. Como lançar aulas no diário se elas não foram dadas??
Professores contratados numa turma de 2º ano, por exemplo, trabalharão até o dia 14/12, nesse dia serão dispensados e lançarão aulas no diário até 21/12? E o cumprimento da Lei 9394/96 (LDB) acerca dos 200 dias letivos?  O direito das crianças não pode ser lesado!!!


Segue pedido de providências do Sintego solicitado junto ao Ministério Público de Itumbiara:



Nenhum comentário:

Arquivo do blog