Full Banner

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Bebê vivo é dado como morto em Itumbiara

Seria cômico se não fosse trájico, um recem nascido é dado como morto por médico, e o própro pai é que percebe e impede que a filha seja enterrada viva, é um absurdo sem precedente tal fato, um hospital que se diz amigo da criança, com titulo e tudo mais,com muita propaganda em torno de tudo isso, e agora vemos a nossa cidade ocupar mais uma vez, o noticiário nacional por mais um vexame, é a prova de que estrutura fisica só não basta é preciso investir em profissionais e dos bons, ja falei isso no passado, pois é. Segue abaixo matéria do Dm de Goiânia.


Pai descobre equívoco quando recém-nascida era levada para o necrotério. Cremego investigará se houve falhas no atendimento de hospital municipal

Um bebê com 22 semanas de gestação e com pouco mais de 400 gramas foi dado como morto poucas horas depois de nascido. A menina estava sendo levada para o necrotério pelo pai, Andriel Pontes de Oliveira, que percebeu seus movimentos. “Ela mexia os braços e fazia força para respirar. Eu considero isso como negligência. Foi quase um assassinato”, disse. O caso aconteceu na madrugada de domingo, no Hospital Municipal de Itumbiara.
A criança, que é chamada de Maria Vitória, retornou ao hospital e permaneceu por alguns instantes na incubadora. Depois, foi encaminhada para o Hospital Materno-Infantil (HMI), em Goiânia. A menina está internada na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. A mãe da criança, Larissa Garcia dos Santos, teve complicações na gravidez e foi internada na terça-feira, 4, da semana passada. O bebê nasceu no sábado, após cinco meses e duas semanas de gestação.
O pai da recém-nascida disse que a equipe médica não mostrou a criança para a mãe, apenas informou que estava morta. O estado de saúde da menina é considerado grave, e até o fechamento desta edição, ela havia tido três paradas cardíacas. O bebê está sendo medicado para maturação do pulmão, além de antibióticos. “Mas só de ter chegado viva ao hospital já é um milagre”, disse Cézar Gonçalves, diretor do HMI.
O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) vai investigar se houve falhas no atendimento à recém-nascida. Presidente do Cremego, Salomão Rodrigues Filho solicitou à Delegacia Regional do Cremego, em Itumbiara, dados sobre o caso. O órgão deve ouvir os diretores do hospital, médicos envolvidos no caso e o pai da criança, que foi quem percebeu que ela estava vivo.
Diretor do Hospital Municipal de Itumbiara, Ernani Oliveira disse que uma sindicância interna será aberta para apurar o caso. Ele também disse que, após o parto, o médico não percebeu sinais vitais na criança e que ela teria recebido atendimento ainda no centro cirúrgico, mas não havia respondido. Ernani disse que deve ser reunir com a equipe que atendeu a criança hoje. “Comunicamos o Conselho de Ética e vamos apurar o que aconteceu.”
Advogado da família, Leandro Martins aguarda a evolução do estado de saúde do bebê para definir que ação será tomada. Titular do 2° Distrito Policial de Itumbiara, Ricardo Torres disse que também aguarda a evolução do caso para instauração do inquérito. O médico responsável pelo atendimento à criança pode ser indiciada por homicídio culposo, caso ela morra, ou por lesão corporal culposa, se ela sobreviver e tiver sequelas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Este é um dos maiores absurdos que deparei em minha carreira, tamanho o menoscabo que a vida foi tratado por aqueles que deveriam zelar de nossa vida!!! Dr. Leandro Martins Pereira, advogado da família do bebe.

Anônimo disse...

Alguma novidade sobre esse caso?

Arquivo do blog